A Universidade Federal de São Paulo (Unifesp) e a Fundação Lemann confirmaram que começaram na capital paulista os testes da vacina ChAdOx1 nCoV-19, a aposta da Universidade de Oxford, no Reino Unido, contra a covid-19.

A vacina é uma das 141 candidatas cadastradas na Organização Mundial de Saúde (OMS) e está entre as 13 que já estão em fase clínica de testes em humanos no mundo.

Nesta fase estão sendo testados profissionais de saúde, que são os que podem estar mais efetivamente em contato com o novo coronavírus.

Os testes da vacina em São Paulo começaram na sexta-feira, 19/6, e prosseguem nesta semana, segundo o Centro de Referência para Imunobiológicos Especiais (Crie) da Unifesp, que coordena sua aplicação.

Pelo menos 5 mil profissionais da saúde participarão das testagens no Rio de Janeiro e em São Paulo.

A Unifesp afirma que, na capital paulista, o Hospital São Paulo está responsável pela análise do perfil dos profissionais de saúde aptos a receberem o teste da vacina.

Em nota, a Fundação Lemann, que é uma das financiadoras do projeto no Brasil, celebrou o início dos testes no país e disse que ainda há um longo caminho a ser percorrido até que resultados positivos sejam conhecidos.

Os testes da vacina de Oxford em São Paulo estão sendo coordenados pelo Crie, sob a liderança das infectologistas Lily Yin Weckx e Sue Ann Costa Clemens, responsável pela articulação que colocou o Brasil como o primeiro país da América Latina a integrar a fase de testes da vacina, depois do Reino Unido.

Com informações do portal G1.


O portal Estádio das Coisas apoia as medidas
de isolamento social para conter o avanço do novo coronavírus.
#FiqueEmCasa    #SeSairUseMáscara


COMENTÁRIOS




Estádio das Coisas
A arena para todos os debates