“As cores dos títulos dão o tom da respectiva notícia: verde (boa notícia), amarelo (neutra ou de alerta) ou vermelho (preocupante). Clique sobre o título para acessar o conteúdo na íntegra.

Unicamp aprova saco de lixo antiviral produzido por empresa brasileira 

A Universidade Estadual de Campinas (Unicamp) comprovou a capacidade de um saco de lixo fabricado por uma empresa brasileira de eliminar o novo coronavírus. Testes realizados pelo Instituto de Biologia mostram que o produto removeu 99,9% dos vírus. Segundo a instituição, a tecnologia é inédita e a previsão da companhia é distribuir o item no mercado “nas próximas semanas”. Laudo em três amostras do invólucro colocadas em contato com o vírus em intervalos de exposição diversos o eliminaram em até 72 horas.

Centro da pandemia, Brasil já tem 21 testes de remédios internacionais autorizados pela Anvisa

Por ser um dos epicentros da pandemia, o Brasil atraiu não só estudos de vacinas do exterior, mas também pesquisas internacionais de possíveis medicamentos. Diante de um cenário prolongado de alto número de casos e mortes, vem crescendo o interesse de pesquisadores estrangeiros e farmacêuticas multinacionais por incluir pacientes brasileiros nos seus ensaios clínicos. Dos 33 estudos de medicamentos ou vacinas já autorizados, 21 são testes internacionais de possíveis tratamentos para a infecção.

Imunidade coletiva pode estar mais próxima do que o esperado, dizem novos estudos

Seis meses após a eclosão dos primeiros casos da doença, surgem novas estimativas, bem mais otimistas, sobre a taxa necessária para gerar imunidade coletiva contra a covid-19. Há trabalhos que falam em 50%, 43% e até mesmo menos de 20%. Essa última estimativa é fruto de uma análise que contou com a colaboração de pesquisadores brasileiros. O novo modelo se difere dos demais pois considera que o risco de uma pessoa se infectar é influenciado por fatores biológicos e comportamentais e, portanto, não é homogêneo.

Por que nossos cérebros têm dificuldade em lidar com o surto de covid-19?

Quando há algo realmente assustador e invisível lá fora, a vida pode se tornar um exercício para decidir se um copo monumentalmente importante está meio cheio ou meio vazio. Muita gente leva a pandemia como se fosse um simples fator a mais, alguns chegam a ignorá-la no dia a dia; outros, pelo contrário, se isolam totalmente e geram em si crises de ansiedade e depressão. Entenda melhor como isso se dá no texto de Robert Sapolsky, professor de biologia, neurologia e neurocirurgia na Universidade de Stanford (EUA), clicando no título desta chamada.


O portal Estádio das Coisas apoia as medidas
de isolamento social para conter o avanço do novo coronavírus.
#FiqueEmCasa  — #SeSairUseMáscara


COMENTÁRIOS




Estádio das Coisas
A arena para todos os debates