# Copa do Mundo da Rússia – 2018 – Dia 8 #

Quem tem medo do Uruguai (♪Uruguai, Uruguai…♫)? Eu sempre tive! Tendo sido criado a Zico & Sócrates, aroma de Leandro e retrogosto de Falcão, o Uruguai era um time que remetia à única derrota significativa DAQUELE time até o fatídico dia do Sarriá. Final do Mundialito, o mesmo 2 x 1 de 30 anos antes.

E, pós-Sarriá, numa tentativa de renovação, a Copa América também perdida para eles.

Aprendi, desde cedo, que o Uruguai era parada indigesta.

Até que veio a Copa América de 89, as Eliminatórias de 94 e o Uruguai deixou de ser temido. Mas…

Uruguay Russia - Rússia 2018, dia 12: você também tem medo do Uruguai?
Jogadores uruguaios comemoram um dos gols contra a Rússia | Getty Images

Cem por cento de aproveitamento, nenhum gol sofrido, uma dupla letal de ataque, tudo isso me parece suficiente para que os rivais da Península Ibérica entrassem em campo na tarde de segunda-feira pensando em fugir desse confronto. Não foi isso o que houve. Um misto de preguiça, salto alto, soberba, displicência e incompetência resultaram em empates de Portugal e Espanha contra adversários frágeis, com direito a pênalti perdido e cartão amarelo tolo para O Melhor do Mundo.

Essa Copa me parece, cada vez mais, um torneio em que haverá de sobressair um sistema defensivo bem pensado e bem executado, em detrimento das individualidades. Curiosamente, reside na individualidade o antídoto para quebrar sistemas defensivos bem pensados e bem executados.

Mas quem, até agora, seria o grande destaque individual? Centroavantes finalizadores, que dependem da criação dos homens de meio? Sem dúvida, os Casagrandes & Chulapas dessa Copa estão com a bola toda! Mas se eu tivesse que escolher algum Maestro/Ritmista que tenha enchido os olhos até o presente momento, ficaria em dúvida entre Modric, Coutinho, De Bruyne e James Rodríguez.

E acaba sendo uma injustiça daquelas que o Uruguai não tenha alguém de semelhante jaez para municiar Suarez e Cavani. Um Francescoli ou um Forlán… mesmo um Rúben Paz, que mostrou sua categoria aqui no Internacional. Falta esse homem ao Uruguai, um time que é metade fibra de Obdulio e metade prosa poética de Eduardo Galeano.

Será um duelo muito interessante entre a inexpugnável defesa uruguaia e Cristiano Ronaldo, que estreou com muito estardalhaço e já parece estar “devendo no banco”, nessa Copa do Mundo que, até pelo local onde ocorre, parece uma montanha´-russa para as reputações.

E que assim seja… pois esta quarta-feira é a última chance do Messi mostrar o que dele se espera, a despeito de tanta gente ali para atrapalhar!

RECOMENDAMOS



COMENTÁRIOS




Randall Neto
Randall tem 45 anos, é brasileiro sem orgulho nem preconceito, com algum amor, sim senhor. Tem dois filhos, torce pela Argentina e ainda acha que dá pra empatar o jogo contra a Itália de 82. Escreve sobre Copas do Mundo desde 2002.