# Copa do Mundo da Rússia – 2018 – Dia 8 #

Ninguém compreende a minha paixão pela Argentina. Eu não saberia explicar. Talvez a minha amiga, lá em 99, no século passado, ao me pegar na rodoviária depois de 16 horas e meia dentro de um Nacional Expresso, viu na minha cara o que significava tudo aquilo que eu tinha acabado de descobrir!

Quando você descobre com quem vai querer ficar junto, esperar do outro lado da igreja quando ela surge de branco, segurar o filho em comum no colo na hora do parto, contar dinheiro para pedir uma pizza, dormir com a porta da frente aberta, chorar junto e rir muitas vezes da mesma cena do mesmo seriado favorito.

Tudo isso não tem nada a ver com a Argentina. Tem a ver com o gosto pelo que não se explica. Como a genialidade do Messi. Como a paixão do povo pelo futebol. Como tudo o que dejan en la cancha… como a construção de um sonho, a manutenção de um desejo, ou a esperança equilibrista e o coração de fiador!

messi croacia cabisbaixo 300x169 - Rússia 2018, dia 08: você sabe o que é ter um amor, meu senhor?
Messi cabisbaixo contra a Croácia, assim como tinha sido contra a Islândia: imagem de uma seleção despedaçada | Getty Images

É ser um pouco exilado dentro do seu próprio país, sem teto em sua própria casa. Estrangeiro, apátrida ou portador de um jeito um tanto belicoso de querer frátria ao invés de pátria, como diz o moço de Santo Amaro. É quando o tango cai bem melhor que um blues e sei que assim falando esse desespero tá de squat aqui bem antes de virar modinha em 76…

Falando em tango, Bandeira já o sugeria como alternativa ao pneumotórax e não há nada que se possa fazer quando a Vida se disfarça de Croácia e lhe coloca um 3 a 0 acachapante, com choro e sem vela!

Porque as coisas acabam. Se elas têm um ciclo ou não, é difícil constatar. Mas independentemente da nossa vontade, elas chegam ao fim… o juiz apita o fim do jogo, você confere de novo o placar por mero desafio à realidade e mira o túnel, onde um atordoante silêncio te aguarda.

Um caminhar sem alarde, levando a carteira de identidade, uma saideira, muita saudade, e a leve impressão de que já vou tarde!

Choro por ti, Argentina, um amor que ninguém nunca conseguiu entender! Choro por mim, Argentina…

RECOMENDAMOS



COMENTÁRIOS




Randall Neto
Randall tem 45 anos, é brasileiro sem orgulho nem preconceito, com algum amor, sim senhor. Tem dois filhos, torce pela Argentina e ainda acha que dá pra empatar o jogo contra a Itália de 82. Escreve sobre Copas do Mundo desde 2002.