Contra um time do meio da tabela, a vitória conservará a moral e a segurança que ficariam abaladas com outro insucesso em casa

Claro que qualquer vitória vale três pontos. Mas algumas vitórias, por causa das circunstâncias em que ocorre, parecem ter mais importância, sim.

Hoje será uma delas. Quando entrar no gramado do Estádio Olímpico, às 16h30, o Goiás carregará nas costas o peso da derrota para o Coritiba, quatro dias atrás. Então, para entender o contexto precisamos falar um pouco desse revés.

goiás treino maranhao tiago luis victor ramos 450x300 - Pré-jogo Goiás x Oeste: a corrida para o G-4 passa por um jogo-chave
Maranhão, Tiago Luis e Victor Ramos participam de treino físico | Rosiron Rodrigues / Goiás EC

Não dá para classificar o resultado negativo como atípico. Pelo contrário, é bem típico desta Série B que as equipes tomem pontos “certos” umas das outras. O Goiás sentiu na terça-feira aquilo que causou ao Avaí, por exemplo, algumas rodadas atrás, em Florianópolis.

Foi uma partida em que os dois times tiveram várias chances claras de gol. Mas, sim, o Goiás teve a maior parte delas. Quando finalizou corretamente, parou no paredão chamado Wilson – na opinião deste colunista, o melhor goleiro da Série B.

Como outra variância a ser citada, não dá para não falar do pênalti mal batido por Giovanni no último minuto do jogo. Um empate seria valioso naquele momento, mas não dá para chorar o leite derramado.

A questão agora é o Oeste. Um time meio de tabela, comum, mas não ruim. Conseguiu 40% de seus pontos fora de casa e costuma endurecer bastante nessa situação, especialmente contra times da parte de cima da tabela. O treinador é o experimentado Roberto Cavalo.

O Goiás conta com a volta de Renato Cajá e Lucão, que fizeram falta contra o Coxa, não dá para negar. Com isso, Maranhão vai para o banco e o time jogará com o meio de campo reforçado. Isso fez falta contra o Coritiba, que certamente jogou mais aberto do que jogará o Oeste. A questão é: será que não seria a hora de manter Maranhão como opção para abrir a defesa de um time que virá provavelmente para jogar por uma bola?

De qualquer forma, Ney Franco sabe o que está fazendo e tem conseguido melhorar o time no segundo tempo quando tem opções suficientes.

Uma vitória deixará o Goiás às portas do G-4. É o que precisamos e devemos buscar. Mais do que isso, conserva a moral e a segurança que ficariam abaladas com outro insucesso em casa. Por isso, é um jogo que acaba valendo mais do que os outros.

LINCOLNEANAS

* * * * * Apesar do resultado ruim contra o Coritiba, a expectativa é de bom público novamente contra o Oeste. A torcida esmeraldina sabe responder bem quando passa a confiar no time e ajuda a empurrar.

* * * * * Léo Sena foi objeto de uma reportagem do jornal O Popular nesta semana. Praticamente uma página inteira, com dirigentes e até um ex-treinador falando sobre a situação delicada dele no momento. Mas não apareceu a voz do jogador. Será que ele não quis/não quer falar?

RECOMENDAMOS



COMENTÁRIOS




Elder Dias
Jornalista, servidor federal, ambientalista e esmeraldino por natureza. Buscando sempre aliar paciência de Jó com perseverança de Cafu.