No meu último texto, cornetei um tuíte de Gerliezer Paulo e no final fiz um trocadilho pedindo pra ele pedir o Boné. Facundo Boné, o uruguaio, pra quem não entendeu a piada, como o canalha do Elder Dias.

E não é que deu certo? Dias depois, Mestre Louzer (estou benzendo) pediu o boné e vazou pra Curitiba – coitados dos torcedores do querido Coritiba. Foi enganar em outra plaga, esse miserável.

Mas também nem adiantou muito porque quem ficou no lugar – não lembro o nome e nem vou pesquisar – não teve culhões para tirar Danilo 120k do time. Até cego está vendo que ele ainda não tem condições de jogar. Tá dando vergonha alheia vê-lo em campo. O primeiro tempo contra o rival foi digno de dó. Sério mesmo.

Aí, no intervalo, o cara que ficou no lugar do treinador – continuo sem lembrar o nome – coloca quem no lugar do D120k? Elias, é claro, dirá qualquer torcedor com o mínimo possível de neurônios na cachola.

Que nada. Entrou Michael Douglas. Sim, MD.

Quando vi isso, pensei: nunca mais eu vou dormir.

Eu iria falar sobre a atuação de MD mas prefiro me calar. Passei a entender por que tem uma droga com o nome dele. Só queria que alguém me informasse se ele já foi mandando embora por justa causa. Foi? No aguardo de respostas.

Mas vamos ser realistas: jogamos contra um time muito bom, bem treinado, que tem um meio campo de jogadores rápidos e habilidosos e que ainda conta com o Meia-Foda no ataque fazendo o estrago. Tanto que a zaga e goleiro deles, que são fracos, nem estão sendo tão acionados nesse regional. No Goianão, nadam num mar de tranquilidade, mas no Brasileirão esse time vai precisar fazer dois gols em todos os jogos porque é certeza que Sidão vai tomar um.

Falar em Sidão, no aquecimento era visível que a parte psicológica dele anda em frangalhos. E o Vila não conseguiu chutar uma vez sequer no gol pra se aproveitar disso. Garoto Erick precisa ter mais personalidade nesse quesito, teve duas oportunidades e passou a bola quando deveria ter chutado. Nosso garoto perdeu a chance de se consagrar em um jogo dessa grandeza.

As coisas andam tão ruins lá pelas bandas do Universitário que chegamos ao cúmulo de temer a URT, lanterna do campeonato do pão de queijo. Acho que Eduardo Baptista vai trabalhar mais que o advogado do Lula para arrumar esse time.

Aguardemos.

__________________________________________

VILANOVADAS

O pessoal do clube rival limpou o vestiário do OBA ao final do jogo. Um ato digno de um clube com fama de esnobe. Só esqueceram de falar que o Vila fez o mesmo no primeiro turno, mas que não precisou fazer alarde na mídia. Isso deveria ser modus operandi de todos os clubes brasileiros, mas precisou vir aqui um clube e torcida argentinos para dar o exemplo.

 Sobre a torcida rival. Vi no twitter uma torcedora moxé xingando e chamando de animais os vilanovenses por supostamente jogarem cerveja no banco de reservas do time dela. Falou isso como se fosse a torcida dela só tivesse cordeirinhos recém-saídos da igreja. Nobre torcedora, em 2005, no clássico jogado na Serrinha com a presença das duas torcidas, um morador de um prédio que ficava atrás da torcida colorada jogou uma garrafa de cerveja – sim, uma GARRAFA, e não o líquido – na intenção de atingir algum vilanovense. Essa garrafa simplesmente caiu ao lado do bandeirinha e, por alguns centímetros, esse infeliz não matou um profissional trabalhando. Ali é um setor nobre e tenho certeza que quem jogou essa garrafa tem escolaridade acima da média brasileira. Futebol transforma em animal pessoas de todas as classes sociais, não se engane. Então, antes de julgar, olhe para o próprio umbigo.

E parabéns à torcida vilanovense. Linda festa, apesar do time aquém do que merecemos.

RECOMENDAMOS



COMENTÁRIOS




Anderson Milhomem
Anderson Milhomem, 47 anos, publicitário, diretor de arte que tem o design como inspiração, a escrita como paixão e o Vila Nova como religião. Deus no céu e Bé na terra. Amém. @anderson_milhomem