As cores dos títulos dão o tom da respectiva notícia: verde (boa notícia), amarelo (neutra ou de alerta) ou vermelho (preocupante). Clique sobre o título para acessar o conteúdo na íntegra.

Por que a OMS agora recomenda máscaras para locais públicos?

A Organização Mundial da Saúde mudou as orientações sobre uso de máscaras e disse que elas devem ser usadas em público para ajudar a impedir a propagação do coronavírus. O órgão disse que novas informações mostram que elas podem fornecer “uma barreira para gotículas potencialmente infecciosas”. Mas a OMS destaca que apenas as máscaras – que podem ser de pano, não médicas – não são suficientes para evitar a disseminação do coronavírus. Em alguns países ao redor do mundo, como no Brasil, já há recomendação ou exigência de que as pessoas usem máscaras para cobrir boca e nariz em público.

A Itália tem 293 pacientes internados em unidades de terapia intensiva para tratamento do novo coronavírus (Sars-CoV-2), informou a Defesa Civil neste sábado, 6/6. Desse número 110 são internações em hospitais da região da Lombardia, a mais afetada pela pandemia na Península Itálica. Em 24 horas de sexta-feira para sábado, cinco regiões do país não registraram nenhuma nova contaminação.

Mais de 130 testes de diagnóstico para o novo coronavírus já estão disponíveis no Brasil

À medida que crescem os casos de contágio de coronavírus e de mortes pela covid-19 no Brasil, aumenta também a oferta de testes para detectar a doença. No estágio atual da pandemia, quando muitas cidades apresentam planos de flexibilização da quarentena, essa alta da capacidade de testagem é boa notícia. Até o começo de junho, a Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) tinha concedido registro a 134 testes — 106 deles importados, a maioria de países asiáticos, onde a pandemia começou. Há um mês e meio, o número era um terço disso.

Como a covid-19 aproximou o pensamento de um dos maiores filósofos atuais ao de negacionistas

Na coleção de textos Ciclo de Artigos Pandêmicos: Diálogos sobre o Lockdown Político, promovido pelo portal Estádio das Coisas, a colaboração da semana é do professor e doutor em História pela UFG Manoel Gustavo, que trata da figura de Giorgio Agamben. O filósofo italiano chegou a comparar a covid-19 a uma gripe comum, o que causou controvérsias e o aproximo ao pensamento de personalidades negacionistas, como o presidente Jair Bolsonaro.

Governo do RJ autoriza reabertura parcial de shoppings e restaurantes

O governador do Rio de Janeiro, Wilson Witzel (PSC), autorizou a flexibilização do isolamento social, liberando, a partir deste sábado, 6/6, a reabertura parcial de restaurantes, shoppings, bares, entre outros. A decisão contraria alguns pontos do plano de retomada gradual da capital do Estado, composto por seis fases, com 15 dias de duração cada. A liberação do retorno às atividades pelo governo fluminense depende de requisitos de segurança, como a distância mínima de 1 metro entre pessoas, a disponibilidade de álcool em gel 70% e a obrigatoriedade de uso de máscaras.

Confirmações e suspeitas de covid-19 levam estresse a profissionais da saúde em unidades de Goiânia

Na linha de frente do combate à pandemia, servidores da Secretaria Municipal de Goiânia já conviveriam com a insegurança diariamente, pelo ônus da profissão. Mas a falta de testes periódicos – e a falta de perspectiva de que eles ocorram de forma consistente – agravam a situação. Na região norte de Goiânia já são vários profissionais contaminados e outros sob suspeita. Prefeitura admite “não ter como” oferecer testes rápidos na periodicidade recomendada (a cada duas semanas).


O portal Estádio das Coisas apoia as medidas
de isolamento social para conter o avanço do novo coronavírus.
#FiqueEmCasa    #SeSairUseMáscara


COMENTÁRIOS




Estádio das Coisas
A arena para todos os debates