O brasileiro ficou inexplicavelmente feliz com a vitória da Coreia e consequente eliminação da Alemanha. De onde surgiu tamanho ódio? O que eles fizeram, exatamente?

Uma das razões pelas quais comecei a torcer contra o Brasil é que sempre achei o torcedor brasileiro meio vilanovense.

Sério!

O Vila assistiu o Goiás o atropelar em soberania, conquistas e tudo, mas seu torcedor ficava falando “é tetra, é tetra, é tetra” (no caso, vilanovense fala “tréta“, mas não quero maltratar o vernáculo em nome da veracidade narrativa).

Desde ontem, o brasileiro anda mais vilanovense do que nunca. Porque, vejamos, jamais pisaram numa Série A do Campeonato Brasileiro, mas viviam gozando com o pau dos outros quando o Goiás perdia pro Flamengo, pro Corinthians, pro Palmeiras. Nunca vi sentido nesse prazer vicário do vilanovense de ver o Goiás perder para times do primeiro escalão.

Brasil zoando alemanha - Mundial da Rússia não acabou, mas a Copa do Mundo (do Rancor) já é nossa!
Uma entre um milhão de piadas e memes surgidos no Brasil desde a eliminação da Alemanha | Reprodução

Pois o brasileiro ficou inexplicavelmente feliz com a vitória da Coreia e consequente eliminação da Alemanha. De onde surgiu tamanho ódio? O que eles fizeram, exatamente? Ganharam – de forma até piedosa e complacente – de 7 a 1 na casa do Brasil? Foi esse o pecado da Alemanha, que fez com que ela merecesse tamanho ódio? Um resultado esportivo legítimo?

Pra falar a verdade, nunca achei que o Brasil tivesse demonstrado ter se “machucado” de verdade, com tantos memes e gracinhas… e isso, pra mim, não demonstra o caráter jocoso e cordial do brasileiro, demonstra um povo que não tem VERGONHA NA CARA! Que perde de 7 a 1 e age como se tudo estivesse na mais perfeita ordem.

Pois a Alemanha em 2014 veio ao Brasil, dedicou uma dose de carinho ao brasileiro e ao povo da Bahia poucas vezes visto, ganhou da gente e abriu mão do esculacho/humilhação e mostrou que um projeto no qual o futebol seja seriamente tratado pode chegar ao sucesso.

Pois um dos posts de “comemoração” à vitória da Coreia diz exatamente que não tem essa de projeto e planejamento não, que futebol é bola no pé, é ginga, é capoeira como herança do tempo em que se enganava senhor de engenhZZZZZZZZ…

A Copa do Mundo da Rússia de 2018 ainda está em disputa. Mas sem sombra de dúvidas, a Copa do Mundo do Rancor de todos os tempos já é nossa!

RECOMENDAMOS



COMENTÁRIOS




Randall Neto
Randall tem 45 anos, é brasileiro sem orgulho nem preconceito, com algum amor, sim senhor. Tem dois filhos, torce pela Argentina e ainda acha que dá pra empatar o jogo contra a Itália de 82. Escreve sobre Copas do Mundo desde 2002.