No que deveria ter sido o jogo mais interessante do Campeonato Goiano até agora, o time da melhor defesa passou a ser também o do melhor ataque. Goiás 3 x 0 Atlético, sem qualquer contestação.

A não ser por um início de partida precavido, em que o rubro-negro teve maior posse de bola, porém sem muita efetividade, o anfitrião foi bem superior ao rival, deixando à mostra que, pelo menos no momento, não tem concorrente em nível estadual.

É o que a torcida espera, aliás, já que é o único clube da região que disputará a Série A do Campeonato Brasileiro.

E aqui está plantada uma dúvida na cabeça dos esmeraldinos e esmeraldinas: o Goianão serve de base ou não? É uma questão que está sendo posta dos torcedores para a imprensa esportiva, por causa do bom momento que a equipe vive. O jornalista José Carlos Lopes expôs muito bem o alcance dos números alviverdes em seu último artigo para o portal Sagres, intitulado “Verdão indomável!”.

Para deixar claro, então: serve de base, sim, e muito.

Não pela qualidade dos adversários, mas pelo potencial que o time desenvolva – ou não – durante a competição.

Prova disso é que, mesmo sendo tetracampeão estadual, nenhum dos quatro títulos teve um sabor especial, porque de 2015 a 2018 o único mérito que o Goiás teve, sem exceção, foi ser menos ruim do que os concorrentes.

Em campo, o rendimento do time de Maurício Barbieri só encontra parâmetro com o de 2012 nos últimos tempos.

Naquele ano, o Verdão disputou o Goiano puxado pelo desempenho de um certo Ricardo Goulart e de um lateral-esquerdo chamado Egídio, aos quais se juntaria, mais à frente, um gordo chamado Walter. Aquele foi, sem dúvida, o melhor time produzido na Serrinha nesta década.

Em 2013, mesmo já sem Goulart e Egídio, é bom lembrar que o Goiás esteve na disputa por uma vaga na Libertadores até o fim – e um fim melancólico, frustrante e trágico, como todos sabemos.

Neste começo de temporada, em cinco jogos, o que menos deve ser observado são os resultados. As cinco vitórias – três delas em clássicos e todas sem sofrer gol – são menos importantes do que a maneira com que foram obtidas. Nesses jogos, poderiam ter ocorrido outros placares, como um empate contra o Grêmio Anápolis (a vitória só veio no último minuto) ou uma goleada sobre o Novo Horizonte (o time perdeu inúmeras chances de gol).

Em todas essas partidas, no entanto, o domínio esmeraldino foi absoluto e houve um mesmo jeito de atuar, independentemente das peças que estavam em campo. Obviamente, quanto melhores são as peças, maiores as chances de um bom rendimento desse estilo de jogo.

No momento, o importante é saber que temos um padrão técnico-tático definido: prioridade à posse de bola, pressão para sua retomada, passes curtos e lançamentos em vez de chutões, facilitando com que apareça o diferencial, que tem sido o talento de Michael.

Por esses parâmetros, é possível afirmar sem medo que não há por que duvidar do que está sendo erguido. Pela primeira vez em muitos anos, o planejamento técnico está tendo um curso positivo.

Mérito da diretoria, que resolveu aceitar a dica de Tite e apostou em Maurício Barbieri, do próprio treinador e da comissão técnica sob seu comando.

LINCOLNEANAS

homenagem rondinelly 521x300 - Já temos o melhor Goiás desde 2012 – e isso é muito animador * * * * *  Duas importantes ações do Goiás Esporte Clube em relação à torcida. A primeira foi a homenagem ao jovem Rondinelly Borges, covardemente executado na tarde do domingo, 27, quando se dirigia ao estádio para ver seu time enfrentar o Vila Nova. Os dois times se misturaram abraçados, durante o minuto de silêncio. Que o esmeraldino possa ter sido a última vítima nessa escalada da barbárie envolvendo o futebol. Não pode ser assim mais.

 * * * * *  A segunda veio do novo patrocinador, a All Invest, que resolveu bancar os R$ 220 mil que faltavam para custear o tratamento do garoto Paulo Vítor, nos EUA. Seus pais, Paulo Vítor e Sandra, foram surpreendidos com a informação em pleno gramado da Serrinha, no domingo. Uma cena emocionante daquela tarde. Muita saúde ao pequeno esmeraldino!

 * * * * *  O sol terrorista de domingo foi protagonista de várias polêmicas por conta da falta de cobertura nas bancadas da Serrinha. Paciência, é o que temos para o momento. Se vai afastar gente do estádio, o mesmo está ocorrendo pela precariedade do Serra Dourada, onde especialmente os banheiros sofrem graves críticas, especialmente por parte das mulheres.

* * * * *  O técnico Maurício Barbieri participa nesta terça-feira, a partir das 15 horas, do Seleção Sportv, conforme informou o perfil oficial do Goiás no Instagram (@goiasoficial).

 * * * * *  Em uma disputa bem acirrada desta vez, Rafael Vaz foi escolhido o melhor jogador do Goiás na 5ª rodada para a disputa do troféu Bola de Esmeralda. Além de cumprir bem seu papel como zagueiro, fez o gol que abriu o placar e arriscou bons lançamentos.

RECOMENDAMOS



COMENTÁRIOS




Elder Dias
Jornalista, servidor federal, ambientalista e esmeraldino por natureza. Buscando sempre aliar paciência de Jó com perseverança de Cafu.