Em reportagem divulgada com exclusividade em inglês pela Fox News (clique aqui para acessar o original), uma empresa biofarmacêutica da Califórnia afirma ter descoberto um anticorpo que poderia proteger o corpo humano do coronavírus e liberá-lo do sistema de uma pessoa em quatro dias.

Nesta sexta-feira, 15/5, a Sorrento Therapeutics anunciou a descoberta do anticorpo STI-1499, que a empresa de San Diego disse poder fornecer “100% de inibição” ao novo coronavírus, acrescentando que um tratamento poderá estar disponível meses antes da vacina chegar ao mercado.

“Existe uma cura. Existe uma solução que funciona 100%”, enfatizou à Fox News Henry Ji, fundador e CEO da Sorrento Therapeutics. “Se tivermos o anticorpo neutralizante em seu corpo, você não precisará do distanciamento social. Você pode abrir uma sociedade sem medo”, garantiu. “Ele [o anticorpo fabricado] envolve o vírus e o move para fora do corpo.”

As indústrias de assistência médica e farmacêutica estadunidenses têm se esforçado para desenvolver vacinas viáveis ​​e tratamentos com anticorpos. Espera-se que o número de mortes relacionadas à covid-19 atinja 100 mil em 1º de junho nos EUA.

Alguns médicos especialistas acreditam que, embora a pesquisa de anticorpos seja promissora, mas há preocupações quanto ao tempo que os efeitos podem durar no combate ao vírus em um paciente infectado.

“Os anticorpos, em geral, têm sido muito eficazes em reduzir os [níveis] de vírus se você tiver um alto ônus de infecção”, garante Phyllis Kanki, professora de imunologia e doenças infecciosas na Escola de Saúde Pública de Harvard. “Existem limitações quanto você pode dar e por quanto tempo.”

A equipe da Sorrento acredita ter encontrado a chave para um tratamento bem-sucedido. Através de mais testes, os pesquisadores de Sorrento descobriram que havia um anticorpo em particular que se mostrava 100% eficaz no bloqueio da covid-19 de infectar células da saúde, o STI-1499.

“Quando o anticorpo impede que um vírus entre na célula humana, o vírus não pode sobreviver”, disse Ji. “Se eles não conseguem entrar na célula, eles não podem se replicar. Então, isso significa que, se impedirmos que o vírus pegue a célula, o vírus acabará morrendo. O corpo eliminará esse vírus”.

O diretor da empresa apontou que o anticorpo pode ser usado como terapia preventiva, uma vez que não há efeitos colaterais, e que pode ser mais eficaz do que qualquer vacina que possa ser desenvolvida.

“Esta é a melhor solução”, disse Ji. “O objetivo de fazer uma vacina é generalizar um anticorpo neutralizante. Portanto, se você já possui um, não precisa do corpo para gerar um a partir de uma vacina. Você já a forneceu. Você está cortando o intermediário.”

Foi anunciado recentemente que Sorrento havia feito parceria com o sistema de saúde Mount Sinai, com sede em Nova York, para desenvolver um coquetel de anticorpos.

Apelidado de “Covi-Shield”, o coquetel será composto por três anticorpos diferentes e, dependendo da aprovação do FDA [Food and Drugs Administration, uma espécie de Anvisa dos EUA], será usado como tratamento profilático para as pessoas que retornam ao trabalho e aquelas que foram expostas à covid-19.


COMENTÁRIOS




Estádio das Coisas
A arena para todos os debates