O garoto Arthur Araújo morreu no fim da manhã desta sexta-feira, mais precisamente às 12h11. Ele foi internado pouco antes, às 7h20, no Hospital Bartira, em Santo André (SP). Não resistiu a um quadro de meningite meningocócica. Tinha 7 anos.

Seria uma morte trágica para a família, como ocorre inevitavelmente quando se perde alguém. Mas o caso vai gerar comoção nacional. Mais do que isso, infelizmente vai gerar polêmica e brigas nas redes sociais.

Isso porque Arthur carregava, na certidão de nascimento – como constará também na certidão de óbito – o sobrenome “Lula da Silva”.

lula e seu neto que faleceu hoje em sao paulo 1551456813803 v2 450x450 300x300 - Ex-presidente Lula perde o neto e quer ir ao velório. E agora?
Ex-presidente Lula com Arthur, seu neto que morreu nesta sexta-feira | Reprodução

Ele era neto do ex-presidente da República, preso em Curitiba desde abril do ano passado. No fim do mês passado, morreu Genival Inácio, o Vavá, um dos irmãos mais próximos do condenado político.

Para todo preso é resguardado o direito de prestar a última homenagem a um parente próximo que morre.

Quando da morte de Vavá, os advogados de Lula requereram o que lhe era de direito. A Polícia Federal negou e a Justiça de instâncias inferiores, também. O caso parou no STF e o ministro Dias Toffoli concedeu o direito. Só que Vavá já estava sepultado.

Agora, com a nova tragédia familiar, os advogados entraram com o mesmo pedido.

Basta que o juiz local faça cumprir a lei para que não alimente qualquer polêmica maior. Que trate Lula como um preso comum – apesar de sua notoriedade – e não como um preso político.

É somente da sinalização desse ato de humanidade garantido por lei que os brasileiros precisam para acreditar que há de fato alguma justiça por aí.

 

RECOMENDAMOS



COMENTÁRIOS




Elder Dias
Jornalista, servidor federal, ambientalista e esmeraldino por natureza. Buscando sempre aliar paciência de Jó com perseverança de Cafu.