Elder Dias

Com a vitória fora de casa sobre o Operário de Ponta Grossa (PR), o Guarani deixou a zona de rebaixamento da Série B e ganhou um fôlego na tabela.

Mas não é do time de Campinas – a cidade, não o bairro – que este texto vai tratar.

É que, o resultado fez com que o todo-poderoso Cruzeiro assumisse o lugar no Z4 que os bugrinos deixaram de ocupar. Sim, os bicampeões da Libertadores, hoje, estariam na Série C de 2021.

Mas também não é do lado azul de Minas que vamos falar. Eles são apenas um espelho da atual situação do tema de sempre deste Blog: o Goiás Esporte Clube. Mas aguarde.

Além da trágica conjuntura técnica e principalmente financeira, o Cruzeiro está também numa fase ruim, depois de ter começado relativamente bem sua primeira experiência na segunda divisão do futebol brasileiro. Fez três jogos e venceu todos.

Só que depois fez mais quatro e só conseguiu um empate – contra o Confiança, de Sergipe.

(continua após a publicidade)

Ok, os 10 pontos o colocariam no meio da tabela e, embora isso não fosse o melhor dos mundos, estaria a uma vitória de voltar a brigar na parte de cima. Bastaria vencer o CRB em casa, nesta segunda-feira.

Mas o Cruzeiro só tem 4 pontos, por conta de uma punição que fez o clube começar a competição com 6 pontos negativos. E isso o joga para o fundo do poço, apesar do aproveitamento mediano.

O Goiás de Thiago Larghi tem um problema semelhante: os dois jogos a menos deixaram o time em uma “injusta” lanterna.

Mas em que colocação o time estaria, se a contagem fosse de pontos perdidos? Vamos lá.

Tabela Serie A - Efeito Cruzeiro: como Sport x Goiás virou um desafio mental para o Verdão

Por pontos perdidos, até o momento em que este texto é escrito, o Goiás fecha a parte de cima da tabela. Muda um pouco a cena, não?

A questão é que nossa cabeça não funciona por pontos perdidos.

E isso é ruim principalmente para alguém que chegou agora, como Thiago Larghi, que, apesar de ter conseguido mexer positivamente no Goiás em campo, não viu esse trabalho ser traduzido em pontos.

Dessa forma, o 10º lugar nessa tabela alternativa não vale muita coisa.

O início deste Campeonato Brasileiro está cheio de altos e baixos para todas as equipes e deve ficar assim por muitas rodadas ainda. Para o Goiás, a coisa ficou ainda mais instável, já que passou por um surto de covid-19 que afetou praticamente todo o time titular e vários outros atletas.

Mas os números são cruéis e a posição na tabela, mais ainda. Isso não se curva a nenhuma justificativa e o que é quesito imprescindível são resultados, não melhora de desempenho, infelizmente.

Logo mais, às 20h30, fechando a rodada na Ilha do Retiro, o Verdão terá de se superar para não entrar de vez pelo ralo psicológico e transformar o ambiente de estado de alerta em situação de pânico.

(continua após a publicidade)

LINCOLNEANAS

 * * * * *  Pegar uma equipe com a autoestima reconquistada após a vitória surpreendente fora de casa contra um temido Grêmio não é a melhor das condições. O Sport jogará sem peso, que estará por sua vez dobrado nas costas do Goiás.

 * * * * *  A volta de David Duarte ao time titular é bem-vinda. Se estiver no melhor da forma, é certamente o melhor zagueiro do Verdão.

 * * * * *  Ainda sobre a derrota para o Corinthians: novamente a sorte trabalhou contra o lado verde, em ambos os gols sofridos (sobretudo no primeiro). Mas uma hora a sorte muda de lado. Tomara que comece logo mais.


O portal Estádio das Coisas apoia as medidas
de isolamento social para conter o avanço do novo coronavírus.
#FiqueEmCasa  — #SeSairUseMáscara


COMENTÁRIOS




Estádio das Coisas
A arena para todos os debates