Ontem, no retorno desde Blog, escrevemos sobre a perspectiva para o Goiás fora de campo, com o comando de Paulo Rogério Pinheiro (clique no link acima para acessar).

Hoje é dia de mudar as perspectivas (e expectativas) também dentro de campo: se até o início de dezembro, o Verdão era dado – mesmo entre seus próprios torcedores – como um virtual rebaixado, a sequência dos últimos jogos alterou esse cenário.

É preciso juntar a isso também a instabilidade / mau desempenho dos demais concorrentes à permanência na Série A. Do Bragantino (13º colocado) para baixo, o Goiás foi o que mais pontuou (7 pontos) nos últimos cinco jogos.

O adversário desta quarta-feira, 6/1, é o Coritiba, que conseguiu apenas 1 ponto desses 15 disputados. A situação do adversário piora com a perda de dois titulares para o futebol estrangeiro: os ex-esmeraldinos William Matheus e Giovanni Augusto – este, peça-chave dos paranaenses na competição. A campanha ruim com ele pode ficar pior sem ele.

(continua após a publicidade)

Do lado do Maior do Centro-Oeste, a ausência mais sentida é a de Fernandão, que mudou os caminhos do ataque após se firmar: a velocidade em contra-ataque, com Vinícius Lopes, foi substituída pela bola aérea como principal arma para chegar ao gol adversário, embora por terra o desempenho do centroavante também esteja sendo muito proveitoso. A dupla com Rafael Moura, rechaçada como invencionice por muitos, está indo muito bem.

Por outro lado, o Goiás tem um belo reforço que não veste camisa: a quitação dos vencimentos atrasados. Para o grupo de jogadores, isso passa como uma prova de seriedade da diretoria que assume e deve causar, sim, uma repercussão positiva.

Do lado dos executivos da Serrinha, a expectativa é de que a conversa com o elenco aumente mesmo a motivação que já se observava em campo – talvez pelo fato de o grupo já ter um começo de contato com o próprio Paulo Rogério naquele momento.

Uma vitória em Curitiba, no jogo que começa às 20h30, pode deixar o Verdão a apenas dois pontos de sair do Z4.

Não dá para achar isso menos que uma maravilha para quem estava fadado ao descenso.

O Goiás, na verdade, precisa encarar este início do ano como o da chance de um retorno à Série A no mesmo campeonato. Porque, de fato, é isto mesmo: o clube está tendo a oportunidade de disputar uma vaga na elite sem ter caído de fato.

Estava morto e ressurgiu. Que Deus perdoe esta pequena blasfêmia ao dizer: que a páscoa esmeraldina venha, já em fevereiro!

(continua após a publicidade)

LINCOLNEANAS

 * * * * *  Estabelecer uma premiação por objetivo, abolindo (pelo menos para o Brasileiro) o tradicional bicho por vitória foi uma medida arriscada. Não dá para negar que é o certo, mas é romper com uma cultura consolidada num momento bem delicado.

 * * * * *  Ocorre que a “negociação”, por assim dizer, veio junto com o pagamentos dos atrasados. E creio eu que o valor pela permanência na Série A seja mais interessante do que o que seria obtido jogo a jogo. É observar como o time reage em campo.

 * * * * *  Se vencer hoje, vai dar!


O portal Estádio das Coisas apoia as medidas
para conter o avanço da pandemia de covid-19.
#EviteAglomerações — #UseMáscaraSempre


COMENTÁRIOS




Elder Dias
Jornalista, servidor federal, ambientalista e esmeraldino por natureza. Buscando sempre aliar paciência de Jó com perseverança de Cafu.