Poema interpretado pelo fotógrafo Hélio Beltrânio foi musicado por Fágner há mais de 30 anos e reapareceu em recente novela da Rede Globo

Um poema de Ferreira Gullar interpretado de maneira única pelo fotógrafo Hélio Beltrânio, ganhou elogios de quem gosta do poeta, morto em 2016 e um dos fundadores do neoconcretismo.

A versão dele de Cantiga Para Não Morrer tem “apenas” uma diferenciação: o gênero do interlocutor do eu-lírico, que muda do feminino para o masculino. Veja a bela interpretação de Beltrânio:

Cantiga Para Não Morrer(Ferreira Gullar)com sotaque

Posted by Hélio Beltrânio on Friday, July 20, 2018

 

Cantiga pra não morrer

Ferreira Gullar

Quando você for se embora,
moça branca como a neve,
me leve.

Se acaso você não possa
me carregar pela mão,
menina branca de neve,
me leve no coração.

Se no coração não possa
por acaso me levar,
moça de sonho e de neve,
me leve no seu lembrar.

E se aí também não possa
por tanta coisa que leve
já viva em seu pensamento,
menina branca de neve,
me leve no esquecimento.

Moça de sonho e de neve,
me leve no esquecimento,
me leve.

O poema foi musicado por Fágner em 1984 e voltou a ganhar divulgação recentemente, em uma cena da novela Onde Nascem os Fortes:

RECOMENDAMOS



COMENTÁRIOS




Estádio das Coisas
A arena para todos os debates