Os novos nomes para o Ministério da Justiça e Segurança Pública e para a Diretoria-Geral da Polícia Federal saíram no começo da madrugada desta terça-feira, 28/4.

Pela edição extra do Diário Oficial da União, o novo ministro é André Mendonça, que até então ocupava o comando da Advocacia-Geral da União (AGU); e Alexandre Ramagem, que estava da direção da Agência Brasileira de Inteligência (Abin).

Confirmam-se as expectativas de que o presidente Jair Bolsonaro colocaria, nas vagas do ex-ministro Sergio Moro e do ex-diretor-geral da PF Maurício Valeixo, pessoas bastante próximas a seu núcleo familiar.

Novo ministro da Justiça, André Mendonça é também pastor da Igreja Presbiteriana Esperança, em Brasília, e tem pós-graduação em Direito pela Universidade de Brasília (UnB).

Já o novo chefe da PF, Alexandre Ramagem, é delegado desde 2005 e comandou a segurança de Bolsonaro na campanha de 2018, depois do atentado em Juiz de Fora (MG). Desde então, tornou-se amigo próximo da família, tendo passado o último réveillon como convidado do vereador Carlos Bolsonaro.

A decisão do presidente mostra, cada vez mais, que ele traz para si e seus filhos o controle dos setores mais estratégicos do governo.

Uma das preocupações seria com as investigações policiais, que estariam fechando o cerco contra o senador Flávio Bolsonaro (acusado de participar de um esquema de rachadinhas no Rio de Janeiro) e o vereador carioca Carlos Bolsonaro, acuado pela CPMI das Fake News no Congresso.


COMENTÁRIOS




Estádio das Coisas
A arena para todos os debates