Entre as historietas contadas por Galvão Bueno sobre Ayrton Senna – e que não têm razão para não serem consideradas verídicas – está a da diferença de três segundos.

Dizia o narrador (e ainda diz de vez em quando) que o piloto brasileiro, quando liderava uma corrida, considerava três segundos de diferença para seu perseguidor como a margem de segurança mínima para que um eventual imprevisto – uma troca de marchas errada, uma freada além do ponto etc. – não acarretasse a perda da 1ª posição.

Tudo bem, mas aqui estamos no blog Verde 33, sobre o Goiás Esporte Clube… o que isso tem a ver?

Ocorre que a ótima vitória deste domingo sobre o Fluminense, adversário direto na fuga do rebaixamento, colocou o Verdão a seis pontos do Z-4.

No campeonato, essa diferença de seis pontos equivale à margem dos três segundos de Senna: dá para ter algum tropeço inesperado por conta de um acontecimento fortuito (uma bola na trave e a perda de pontos por conta disso, um “erro” do VAR, mais um jogo sem Tadeu no gol, e por aí vai) sem entrar no desespero.

Estar momentaneamente na faixa da Copa Sul-Americana não significa nada. O que importa mesmo é ter aberto seis pontos para o pessoal da areia movediça.

Porém, de nada adiantarão esses seis pontos de frente e a vitória ter sido apenas um soluço – como foi contra o Inter – ante o ritmo de queda livre pós-Copa América.

Então, é bom deixar bem avisado: margem de segurança não é zona de conforto, ok?

A postura do time em campo, porém, foi animadora. Talvez com a injeção de sangue nos olhos dada pela presença agora, no elenco principal, dos garotos da base (entre outros, Miguel Figueira, Breno e Kaio – que fez a assistência para o terceiro gol, de Yago Felipe) seja um fator diferencial.

Por enquanto, depois de tanta decepção, a hora é de comemorar!

LINCOLNEANAS

 * * * * *  Que partidaça de Rafael Vaz! Foi mais zagueiro-zagueiro do que nunca: além de ter sido perfeito no papel defensivo (desarmando/roubando bolas, dando carrinhos precisos e chutões sempre que necessário), fez o clássico gol do becão que vai à área adversária nos escanteios. Cabeceio nota 10!

 * * * * *  Absurda a expulsão de Breno. O esmeraldino realmente pisa feio no tornozelo de João Pedro, mas a ação foi claramente involuntária. O VAR, que deveria esclarecer justamente isso (e as imagens que repete escancaram a inocência do jogador), serviu para condená-lo. Fico pensando se fosse ao contrário…

Homenagem Rafael Rocha 1200x630 - A vitória sobre o Flu e a margem de segurança de Ayrton Senna * * * * *  Muito bonita a série de homenagens que os jogadores fizeram ao analista de desempenho do clube Rafael Rocha, morto há uma semana. No momento de maior alegria, o gol, Michael e Rafael Vaz fizeram reverências ao colega que, fora de campo, os ajudou a se tornarem melhores jogadores dentro dele. Gratidão é tudo. Que o Goiás tenha sempre esse cuidado com a memória daqueles que o serviram. A foto é de Rosiron Rodrigues.

RECOMENDAMOS



COMENTÁRIOS




Elder Dias
Jornalista, servidor federal, ambientalista e esmeraldino por natureza. Buscando sempre aliar paciência de Jó com perseverança de Cafu.